O Homem da Meia-Noite

Você curte carnaval? Aí onde você mora tem movimentação da folia? Ou você prefere ficar bem tranquilo, não liga nem a televisão pra não ter que ouvir nada que tenha a ver com as festas?

Seja como for, não se pode ignorar essa data. É  Carnaval e aqui na cidade de Olinda, tudo ferve, tudo gira em torno do Carnaval. Desde o comecinho do ano, diga-se de passagem.

E quem abre com chave de ouro as comemorações da folia aqui é o Homem da Meia-Noite.

Como começou o Clube

Clube de Alegoria e Crítica O Homem da Meia-Noite, esse é o nome completo desse símbolo do Carnaval olindense, surgido em 1932 pra fazer frente a outro bloco: o Cariri.

Controvérsias sobre as suas origens

Há algumas histórias para a origem do seu nome: Um delas diz que foi inspirado num personagem de filme “O ladrão da meia-noite”, que era exibido na época no Cinema do Carmo, em Olinda, na trama, aparecida um detetive de dentro de um relógio, que acabava de bater a meia-noite, e ia investigar criminosos.

Há outra que conta que todo dia, à meia-noite, um homem voltava para casa, na Rua do Bonsucesso, depois de namoros e bebidas, seguindo o mesmo caminho. Depois de um certo tempo, essa rotina do homem foi descoberta e ele passou a ser conhecido como o “Homem da Meia-Noite”.

O corpo do Homem da Meia-Noite

Com a estrutura em madeira, o boneco tem cabeça, o busto e as mãos em papel gomado e massa corrida para o acabamento, pintados numa tonalidade semelhante à da pele humana. Mede 3,50 metros e pesa cerca de 50 quilos. Para a confecção das roupas são necessários mais de 20 metros de tecido.

Tradiçãos x inovações

De uns anos pra cá, e em 2015 isso tem se acirrado, o desfile do Homem da Meia-Noite, assim como todo o Carnaval de Olinda está cheio de polêmicas e disputas, pois empresas privadas têm cada vez mais se instalado em estruturas, os “camarotes”, que promovem shows fechados e outras atividades restritas ao seu público pagante.

Também emissoras de TV ocupam espaços e promovem suas transmissões dentro de “camarotes”, sendo que antes elas colocavam seus repórteres e equipamentos em locais já existentes, como na sacada do prédio da Prefeitura Municipal de Olinda.

Defensores das tradições do Carnaval Olindense alegam que essas iniciativas, além de criar espaços totalmente alheios à movimentação carnavalesca, ao promover shows privados, também descaracterizam a movimentação típica do Carnaval no Centro Histórico da cidade, ao obstruir a passagem da população que vai brincar na folia sem precisar pagar nada e pode circular livremente, entre um bloco e outro, com a sua própria fantasia, do jeito que lhe der na telha.

Bom, mas vamos acompanhar o desenrolar dos fatos. O que importa é que o Carnaval está aí e o Homem da Meia-Noite mais uma vez vai inaugurar a folia de Olinda, desfilando pelas ladeiras e animando a festa.

4 comentários em “O Homem da Meia-Noite

    • 17/02/2015 em 21:23
      Permalink

      Fico feliz que tenha gostado, Ariely. Fica ligada por que tem muito mais por aí. O Reverso está apenas começando.
      Beijo!

      Resposta
  • 18/02/2015 em 18:35
    Permalink

    Sou de Olinda, então sou suspeito para falar… Nunca conheci um turista que veio a Olinda e não se apaixonou por nosso Carnaval.

    Resposta
    • 18/02/2015 em 19:06
      Permalink

      Pois é Alexandre, eu sou de Olinda também. Já tive participação em bloco e a gente saía lá pelas ladeiras. Realmente é uma coisa diferenciada, não há como explicar.
      Obrigado pelo seu comentário aqui no Reverso do Mundo e volte sempre que quiser. O espaço é nosso!

      Resposta

Participe, comente esse post: