Olinda 480 – Pelas ladeiras

Olá pessoal! É hoje. Olinda faz aniversário. 480 anos de uma rica história.

E nesse post a gente vai conhecer mais alguns lugares que fazem parte da cidade. Nos posts anteriores, falamos da Catedral da Sé e do Observatório. Hoje, vamos descer as ladeiras e visitar alguns dos mais belos locais do Sítio Histórico Olindense.

O Mosteiro de São Bento é outro lugar bastante visitado na cidade, um de seus maiores cartões postais.

É interessante um visita no final da tarde / começo da noite. As luzes acesas do interior da igreja dão um toque a mais aos adornos da construção.

Dentro do mosteiro, além de toda a riqueza de detalhes, pelas 18:00 horas, você pode se deparar com monges entoando cantos gregorianos, em frente ao altar-mor, sem microfones, sem nada. Mesmo pra quem não tem envolvimento nenhum com religião pode ser uma bela experiência.

Em 2001 o altar principal foi restaurado e logo no mesmo ano houve uma grande polêmica que envolveu até a imprensa e órgãos estaduais, isto por que a peça, de madeira nobre e todo folheado a ouro iria ser desmontado e levado para o Museu Guggenheim, em Nova Iorque.

Sim, você leu certo. Ele iria. Não foi por causa dos ataques de 11 de setembro. Porém, no ano seguinte, o altar-mor viajou pra os Estados Unidos dividido em 54 partes e foi exposto como atração principal da Mostra “Brasil de Corpo e Alma“.

De um outro lado do Sítio Histórico de Olinda, numa das principais ladeiras que leva até a Sé, há um outro tesouro: O Convento de São Francisco.

Foi construído em 1585, sendo o primeiro estabelecimento franciscano no Brasil. Quando os holandeses invadiram Pernambuco, em 1630, ele também sofreu com o incêndio em Olinda, porém, o altar principal guarda algumas características da primeira construção.

A bem da verdade, ele é um complexo de templos, onde estão também a capela de S. Roque, a de Santana e a de Nossa Senhora das Neves.

Na frente do convento, há um grande cruzeiro feito com pedras que sobraram da implantação de arrecifes dos locais onde atracavam os navios europeus. No ano de 2001, nos arredores do cruzeiro, estudiosos encontraram vestígios da construção primitiva do século VXI, além de louças, cachimbos e até mesmo ossadas, por que nessa época havia um cemitério em frente ao convento.

Olinda, 480 anos de história, Carnaval, lutas, monumentos, turismo… certamente a gente poderia ficar aqui postando mais artigos por dia durante muito tempo e não iríamos dar conta do tanto que Olinda tem pra mostrar.

Amanhã vamos ter o penúltimo post da série. Até lá então.

Um comentário em “Olinda 480 – Pelas ladeiras

Participe da conversa com seu comentário: