Areia / Ingá – PB Outtakes Pte. II

Hoje a gente encerra a viagem ao interior da Paraíba. Estivemos no finalzinho de maio mais uma vez em Ingá, local da Pedra com as enigmáticas inscrições pré históricas e na cidade de Areia, que tem muita arte, cultura e história pra contar.

O grande desafio pra as inscrições de Ingá é o da preservação. Há muita discussão, e deve haver mesmo, sobre o que significam, quem e como fez e como é que foram feitos os sinais inscritos nas rochas, isso é um tema realmente apaixonante, porém, se não forem feitas ações muito bem estruturadas pra preservar o sítio arqueológico, em alguns anos, pode ser que não reste mais nada pra se promover discussões sobre se foram homens primitivos ou civilizações de fora os autores da “mensagem” nas pedras.

Existe a necessidade de preservação da mata ciliar (aquela que fica nas margens de rios) em torno do Sítio Arqueológico, pois isso poderia ajudar a segurar um pouco os efeitos da variação da temperatura sobre as rochas. As rochas sofrem os efeitos do clima. De dia, esquenta muito e elas dilatam, pela noite acontece o contrário e isso, com o passar do tempo, pode destruir as camadas superficiais da pedra.

Visitando Ingá já pela quinta vez, ficou a impressão de que as coisas estão sendo feitas, há gente lá que se esforça bastante pra que as coisas andem, evoluam. Com certeza é um dos lugares que merece toda a atenção, afinal, é um dos Sítios Arqueológicos mais importantes do mundo com essa quantidade e variedade toda de inscrições rupestres.

Voltando pra Olinda, pela BR 230, que é excelente, diga-se de passagem, ainda houve tempo pra umas paradinhas pra algumas fotos da paisagem ao redor.

E essa foi a nossa série de posts num giro pelo interior do estado da Paraíba. Esperamos, muito em breve, retornar e  dar mais alguma volta por lá pra trazer pra você mais histórias, pessoas, cultura e fatos interessantes de lugares legais.

Participe da conversa com seu comentário: