Histórias (quase) perdidas Pte. III – O Quebra / Areia – Paraíba

Realmente não estava nos planos fazer artigos do tipo “Histórias (quase) perdidas” em Areia – PB, como os que a gente fez aqui em Olinda. Mas, um pouco antes de partimos pra lá, ficamos sabendo de histórias que se enquadrariam nessa ideia de lugares que foram importantes e frequentados no passado.

A ideia de um “banho público”

Uma fonte num riacho onde, desde o começo da povoação do lugar que veio a se tornar a cidade de Areia, as pessoas iam buscar água potável, acabou virando também uma fonte de entretenimento na cidade quando o maestro Tristão Grangeiro, que era presidente da Câmara Municipal, decidiu mandar construir, (segundo as informações disponíveis) de seu próprio bolso, um banho público.

O porquê do nome

O lugar tinha o nome de “O Quebra” por causa das constantes tombos que aconteciam quando as pessoas iam subindo ladeira acima e escorregavam, quebrando as jarras de barro que levavam com água.

Inaugurado em 1º de Janeiro de 1886, conta-se que o próprio Tristão Grangeiro passou o dia regendo a sua orquestra e tomando banho na fonte, com isso, teria contraído uma pneumonia que lhe custaria a vida apenas duas semanas depois.

Segundo a tradição popular, o Quebra servia muito bem pra que as pessoas fizessem exercícios, pudessem se encontrar e conversar distraidamente.

Do auge ao abandono

Porém, com o passar do tempo, a construção foi se deteriorando, a mata foi tomando espaço e, pelo menos desde os anos 1970, não houve nenhuma requalificação do “Quebra“.

A fonte fica num vale. Dos fundos da prefeitura, (o prédio modernista da cidade) em meio à periferia, que também possui casas coloridas porém bem mais humildes, a gente pode avistar o local onde, no passado, houve esse banho público.

Promessas de retomada do Quebra

Pois é, a cidade não pode contar com o Quebra. Depois do título de Patrimônio Histórico Brasileiro, da construção de hotéis pra atração de turistas e outros estabelecimentos que contribuem com a economia em Areia, um dos pontos que poderia ser um belo pólo turístico não é aproveitado.

Já houve projetos de requalificação do lugar. Em 2011, esperava-se as obras necessárias pra isso, mas o serviço não foi feito. Recentemente, em outubro de 2015, a prefeitura conseguiu reaver verbas destinadas à reforma do Quebra.

Ficamos na espera de que algo seja feito. Areia é uma linda cidade, com histórias e pontos de muita relevância cultural. Todos poderíamos sair ganhando com um novo Quebra.