Era uma vez… uma cidade

Era uma vez uma pequena cidade lá no alto da serra.

Um lugar na maior região do seu estado, que é também a mais seca, onde chove menos e isso é realmente um grande problema.

Mas essa cidade não é igual às outras próximas porque lá faz frio. Os termômetros chegam a marcar 8 ou até 7 graus no inverno. O frio, junto com a umidade, faz com que a paisagem seja diferente. Quase sempre verde, com bastante árvores.

O cangaceiro Lampião nunca atacava essa cidade porque (dentro de sua visão muito pessoal das coisas transcendentais) era devoto de Nossa Senhora das Dores, que na tradição católica, é a padroeira do lugar.

Aliás, o célebre cangaceiro era recebido e tinha guarita em um sítio que hoje é uma espécie de museu: A Casa Grande das Almas.

A fé é uma das grandes marcas desses rincões Brasil afora e nessa cidade não poderia ser diferente.

Na época das festas de Semana Santa, há uma grande romaria, uma via-sacra, pra ser mais preciso. Centenas de pessoas saem da igreja Matriz até um lugar conhecido como Alto da Boa Vista, onde há um anfiteatro com um altar pra celebrações católicas, tudo feito nas rochas e também mirantes, de onde podemos apreciar a cidade lá de cima.

Até meados do século XIX, essas terras altas e frias eram parte de uma cidade bem maior, onde havia uma família que não admitia que lá fossem feitas ruas, casas e outras coisas que lhes fugissem do controle.

Acontece que as pessoas começaram não só a construir mais casas, como a promover feiras, gerando atividades econômicas que foram atraindo mais gente. A família da cidade maior resolveu acabar com a brincadeira, mas o povo da serra conseguiu não só se libertar como pôde emancipar a nova cidade, que teve o aval da Assembleia Provincial de Pernambuco em 1884.

Assim, pra deixar marcado o feito de terem obtido a vitória e conseguido emancipar a cidade, ela foi chamada de Triunfo.

a cidade do triunfo

 

Triunfo fica a 405 KM do Recife.

Pra chegar lá, saindo da capital de PE, pegue a BR 232 até Sítio dos Nunes, distrito da cidade de Flores, a partir daí, siga pela rodovia estadual PE-337 até a sede do município e depois, suba a serra pela PE-426 até chegar ao destino.

Todo o trajeto leva, em média, 6 horas.

Você pode reservar hospedagens em sites como Booking.com, também obter informações sobre pontos e atividades turísticas, bem como dicas de outros viajantes através do TripAdvisor

Se planeja ir em julho, quando se realiza o Festival de Cinema e os eventos do Circuito do Frio, procure se planejar com bastante antecedência. O período junino é tranquilo.

Uma dica do Reverso do Mundo, que usamos antes de viajar, é tirar uma horinha pra observar vídeos no Youtube, tanto os de turistas como eventuais reportagens de Web TVs. Isso pode dar uma prévia legal do que te espera. Tenha o cuidado de selecionar aqueles mais recentes.

2 comentários em “Era uma vez… uma cidade

    • 04/03/2017 em 10:28
      Permalink

      Obrigado Laydson Santos. Nessa estrada do Reverso do Mundo, Triunfo, juntamente as da região do Brejo Paaibano, foi o lugar que mais nos impressionou pela variedade de pontos interessantes, que rendem boas histórias. Triunfo rendeu bem mais, por que tivemos oportunidade de andar pela Zona rural: Pico do Papagaio, Furna, Cacimba. Tem vários artigos em que registramos com fotos e relatos.
      Agradeço pelo seu comentário, espero que volte outras vezes para curtir os outros lugares que também temos visitado aqui no Reverso do Mundo.
      Abraço!

      Resposta

Participe, comente esse post: