A cidade das flores serranas no agreste de Pernambuco

Depois de conhecer a cidade de Bonito, com muitos atrativos naturais e ricas histórias, vamos até outra região pra conhecer Garanhuns, a cidade das flores serranas no agreste de Pernambuco.

Entre matas espessas e serras viviam índios do ramo dos cariris, até que pelos meados do século XVII, começou a chegar outra gente: Negros e brancos pobres se refugiavam naquelas serras, na tentativa de escapar dos holandeses e da escravidão.

As origens

Só que no século XVIII, entre 1700 e 1750, principalmente as comunidades remanescentes dos quilombos sofreram bastante repressão do governo de Pernambuco e, até por isso mesmo, ele mandou que se instalasse ali a sede de uma grande região no estado conhecida como a “Capitania de Ararobá”.

Apesar de todas essas tentativas do esmagamento da cultura afro-brasileira, a cidade conta hoje com comunidades quilombolas, como a do Castainho, Timbó, Estivas, entre outras, que inclusive promovem eventos culturais baseados nas suas raízes africanas.

Aqui estamos também numa região serrana, mas enquanto lá em Bonito tínhamos cerca de 600 metros de altitude, o centro de Garanhuns fica a um pouco mais de 890. Sendo que o ponto mais alto da cidade está a uma altitude de 1030 metros.

Por causa mesmo dessa elevação é que a cidade oferece um clima bastante agradável pra quem quer fugir um pouco do calor. Mesmo no verão, a média durante o dia fica pelos 24, 25 graus; de noite, 18 e até 17 em algumas ocasiões. No inverno chega a fazer até 9 graus depois do cair da noite.

Onde fica a avenida principal da cidade, a Av. Santo Antônio: Esse foi oi o lugar em que começaram a ser construídas os primeiros prédios do vilarejo.

Um templo católico construído em taipa de pilão que desmoronou onde hoje fica uma agência bancária. A sede de uma das principais fazendas dos inícios do município e a própria Matriz de S. Antônio, esta ainda de pé, são os principais locais que assinalam o núcleo primitivo da cidade.

A cidade que cresce

O prédio da prefeitura municipal, se não é bonito, impacta por sua arquitetura bastante interessante. Não há nenhuma curva em seus contornos, (pode prestar atenção que você vai perceber isso!) O que pode causar estranheza numa primeira vista, certamente dá à sede do poder executivo da cidade um aspecto bem peculiar, até charmoso.

a cidade das flores serranas

Hoje, Garanhuns tem cerca de 140 mil habitantes e é polo pra a região do Agreste meridional de Pernambuco. Gente de cidades menores ao redor trabalha e transita por aqui devido à diversidade de serviços e do comércio.

Isso tudo, claro, cobra seu preço. Garanhuns vem ficando cada vez mais movimentada, com trânsito (com destaque pra enorme quantidade de motos que nem sempre andam da forma mais prudente) e a construção de mais espaços comerciais em lugares onde antes havia a convivência entre amigos e vizinhos, cantinhos típicos de cidades do interior.

Um dos principais eventos culturais de Pernambuco e da região Nordeste é realizado em Garanhuns, sempre a cada mês de julho, desde 1991.

Milhares de pessoas chegam do Brasil todo pra conferir o Festival de Inverno, com seus shows de música em que sobem ao palco artistas de renome nacional e, paralelamente, atividades culturais e educativas, acontecem em variados pontos da cidade.

Mas vamos conhecer os pontos turísticos e demais lugares importantes numa época mais tranquila, onde poderemos explorá-los de uma forma um pouco mais profunda, conhecer suas histórias, as pessoas e demais detalhes.

Voltando à Av. Santo Antônio, podemos visitar o Espaço Cultural Luís Jardim, que é tido simbolicamente como o Marco Zero de Garanhuns.

Ele está no perímetro do local onde se localizavam as fazendas e demais lugares que deram origem à cidade. Mais ou menos como acontece no Recife, onde o Marco Zero se encontra em frente aos recifes que deram o nome à capital pernambucana.

No centro da praça, um grande mosaico com uma flor em cores fortes. É possível vê-la de cima, pois a avenida tem uma das partes mais elevada em relação à outra, fazendo com que haja pequenas passarelas e passeios na parte central.

Centro Luis Jardim – Marco Zero da Cidade

Ao descer pro nível do chão, podemos conferir um grande painel em alto-relevo que ilustra fatos históricos da cidade.

O visitante que nunca leu nada sobre Garanhuns e suas origens certamente não entenderá o que aquela narrativa das imagens quer dizer, mas as figuras formam uma sequência interessante pelo valor artístico, vale a pena parar um pouco pra admirá-las.

No final da série de gravuras em baixo-relevo, um poema do professor e músico Murilo Matos e uma grande escultura, homenageando o próprio Luís Jardim, que foi um destacado escritor da terra.

Como chegar

A partir de hoje vamos passear por lugares interessantes e pontos turísticos dessa cidade encravada entre sete colinas (aliás, como Olinda, que é a nossa casa).

Garanhuns está a 231 de distância do Recife. Pra chegar lá, siga pela BR – 232 até a cidade de São Caetano e então pegue a BR – 423, sentido sul, passando por cidades menores, como Lajedo.

Vem com a gente que tem muita coisa legal, a viagem tá apenas começando.

Participe, comente esse post: