Praia de Tambaba: beleza naturista em Conde – PB

Uma das mais belas praias da Paraíba. Um lugar único por uma série de motivos. Hoje no Reverso do Mundo, vamos conhecer a beleza e o naturismo na praia de Tambaba, no litoral do município do Conde.

Assim como na Praia do Amor, em Tambaba também existe uma lenda indígena que explica não só a origem do lugar, como também do seu nome.

A lenda da índia Tambaba

Há muitos séculos, uma tribo andava pelo local pra pescar e coletar frutas. Uma bela índia, de nome Tambaba, circulava na praia com seus parentes até que se encontrou com um rapaz de outra tribo que dizia estar perdidamente apaixonado por ela. A paixão foi recíproca.

Só que os mais velhos da tribo não aprovaram o romance, mandando o jovem se afastar definitivamente de Tambaba. Acabando com um relacionamento que mal tinha começado.

A índia não suportou tamanho sofrimento e ficou num canto chorando. Chorou e chorou mais… tanto que suas lágrimas acabaram formando um lago e depois uma praia inteira.

Tambaba rezou pra que os deuses tivessem pena dela e que deixassem que as águas continuassem naquela terra, antes seca, depois que ela morresse. E foi assim que começou a praia que mais tarde levaria seu nome.

Se a índia existiu ou não, isso ninguém pode comprovar, até por que essa história toda é uma lenda. O fato mesmo é que trata-se de uma linda praia, e bem pertinho do centro de Conde e de seu maior distrito, onde está grande parte das pousadas e da infraestrutura para os turistas da cidade.

Como chegar e quanto custa:

A distância a partir do centro do distrito de Jacumã até lá é de 12 quilômetros, via PB – 008, sentido sul. Pra quem vem da capital, João Pessoa, a distância é de 30 km.

Numa certa altura da estrada, há placas apontando o acesso à praia. Porém, ao tomar a esquerda, uma pequena surpresa:

Nós já tínhamos a informação de que era cobrada uma taxa pra estacionamento na praia, mas vimos uns cones bloqueando a via… pensamos que poderia ser de alguma blitz da Polícia Rodoviária ou coisa parecida. Então, apareceu um senhor nos avisando que teríamos que pagar uma taxa de R$ 5,00 de conservação do lugar, segundo ele.

Pagamos e seguimos até a descida da ladeira que termina no estacionamento, já bem pertinho da praia.

O Mirante e a descida até a praia:

Durante essa descida, é prudente ir devagar, primeiro por causa do movimento de outros veículos, entre carros e vans com turistas. Segundo por que em um determinado trecho, há um mirante, que é a primeira parada do passeio.

O mirante fica a 250 metros da praia e a uma boa altura. De lá é possível observar a própria Tambaba, bem como outras regiões próximas. Praias vizinhas com suas barreiras que são popularmente conhecidas como falésias. Também há um daqueles biombos estilizados com figuras alusivas à praia pra quem quiser, gratuitamente, tirar fotos.

Lá embaixo, antes da praia, há um estacionamento amplo. Porém, é preciso ter paciência, pois num lugar desses, parece não haver baixa nem alta temporada. É movimento intenso o tempo todo.

Chegam vans com turistas de vários perfis, muita gente de outras regiões do Brasil. Um público bastante variado. Desde crianças com seus pais até pessoas da melhor idade.

Para curtir melhor Tambaba, fique atento:

Tambaba está dividida em duas partes. Uma delas, que foi onde ficamos, é liberada pra pessoas que não querem ficar sem roupas. Há uma grande palhoça onde funciona um bar que vende bebidas, refrigerantes, lanches e petiscos variados.

A praia em si é muito bonita, com rochas e corais bem perto da beira. Muitos deles, por causa da erosão provocada pelo mar, ficam pontiagudos.

Na maior de todas essas rochas, um capricho da natureza: Um coqueiro nasceu e cresce até hoje ali, bem na ponta de uma grande pedra. É realmente uma imagem das mais impressionantes.

O visual é muito bonito, mas você tem que ter cuidados especiais pra que possa aproveitar tudo com segurança. À medida que a maré vai subindo, a faixa de areia vai ficando estreita e é preciso ficar atento a essas mudanças.

O movimento das ondas e as correntezas podem acabar se tornando perigosas. Um escorregão e consequentemente um choque com uma das rochas pode ser um bocado desagradável.

Portanto, se você ainda não conhece o lugar, não queira se aventurar mar adentro. Se estiver com um grupo, não se afaste dos seus colegas de viagem e fique de olhos bem atentos às crianças.

Num canto da praia há uma outra barraca onde você pode comprar souvenires e pedir informações.

Um pouco mais a diante, uma escada de madeira é a passagem pra parte onde é praticado o naturismo, onde as pessoas curtem a praia do jeito que vieram ao mundo. Sem roupas.

O Movimento Naturista (não confundir com nudismo)

Este é um movimento e é algo levado muito a sério por seus praticantes. Existem associações de naturistas, publicações sobre o tema e muito, muito zelo e respeito a essa prática.

Em Tambaba, existem regulamentos rígidos de conduta pra quem quiser passar pro lado da praia naturista. Já antes da escada de acesso, há placas e avisos advertindo o visitante pra os comportamentos no ambiente. O que se pode e principalmente o que não se pode fazer no convívio pessoas que estão nuas.

Só em casos excepcionais é que pessoas vestidas podem permanecer do lado naturista:

Policiais que estejam a trabalho e precisam acessar o local em função de algum problema que tenha acontecido lá.

Equipes de televisão e produtoras de audiovisual (documentários ou vídeos pra canais de Internet) devidamente autorizadas, com documentos certificados pelos membros da Associação de Naturismo.

Ou seja, ninguém pode pensar que é só chegar lá e ir tirando as roupas. Há regras e condutas que devem ser seguidas e qualquer desobediência a esses regulamentos é devidamente punida. Tudo isso pra garantir o bem-estar e a segurança de todos.

As pessoas que querem e as que não querem tirar as roupas podem aproveitar esse belíssimo lugar, cheio de encantos e surpresas. Quando for às praias da Paraíba, este é um dos pontos que você não deve deixar de conhecer.

Participe, comente esse post: