A praça do Galo da Madrugada

Estamos hoje no bairro de São José, região central do Recife, num lugar que é sede de uma das marcas mais conhecidas do Carnaval de Pernambuco: O Galo da Madrugada.

Ainda no tempo dos invasores da Holanda e depois

Esses arredores começaram a sofrer intervenções já no século XVII. Durante o governo de Maurício de Nassau foram construidos canais pra drenar as águas e procurar fazer com que a regão se tornasse transitável.

Só que depois da expulsão dos holandeses, em 1654, esses canais ficaram abandonados. No século seguinte, o governo provincial de Pernambuco mandou aterrar toda a área.

Acontece que esses aterros também começaram a sofrer com a ação das chuvas e das marés. Então, uma das soluções pra conter os transtornos que os alagamentos causavam ao tráfego e às populações de que viviam no entorno do Forte das Cinco Pontas e do bairro de Afogados foi fazer um plano urbanístico mais elaborado pra região. Isto já no século XX.

Finalmente, a construção da Praça Sérgio Loreto

Em 1926, quando foi concluída, a praça foi considerada o “mais belo jardim do Recife”. Até pelo fato de, na época, o bairro de São José ser quase todo residencial, ali era um lugar de encontros de famílias, de festas populares, como na época junina e do Natal. No coreto haviam as famosas “retretas”, apresentações de bandas de música instrumental.

a praça do galo da madrugada

Havia também, no fosso, no meio da praça, a “Ilha dos Amores”. Conta-se que era pra lá que alguns casais de namorados mais assanhadinhos corriam. Havia gramados pra piqueniques, era o programa ideal pra as famílias recifenses, num tempo em que não existia televisão.

Um bairro com vocação carnavalesca

O bairro é sede de diversos blocos e demais agremiações muito tradicionais do Carnaval pernambucano: Batutas de São José, Estudantes, Clube das Pás Douradas e muitas outras. Algumas delas vem resistindo ao tempo e desfilando desde o século XIX.

Porém, uma delas acabou tomando proporções gigantescas, tando que é considerado “O Maior Bloco de Carnaval do Mundo”. Estamos falando do Galo da Madrugada.

O Galo foi criado pelo Sr. Enéas Freire, um folião nato. Desde criança já andava entre aagremiações carnavalescas do bairro, tanto é que chegou a criar uma troça antes do Galo da Madrugada, tendo apenas 12 anos de idade. “O Papagaio Louro”.

Depois de participar da fundação da Escola de Samba “Estudantes de São José” e de incentivar outras várias agremiações recifenses, ele criou aquele que seria seu grande bloco de Carnaval. Aliás, o grande bloco do Carnaval de Pernambuco.

O Galo da Madrugada sai do ninho

O primeiro desfile foi no dia 23 de fevereiro de 1978. Apenas 75 foliões fantasiados de almas saíram pelas ruas de São José, indo até o bairro vizinho, Sto. Antônio.

Essas 75 almas foram se multiplicando em progressão geométrica pelos anos seguintes. No começo dos anos 1980 já era preciso interditar algumas ruas do bairro.

Até que em 1995 o título de “Maior Bloco de Carnaval do Mundo” foi oficializado, com direito a registro no livro dos recordes.

Naquele ano, o Galo arrastou mais de um milhão de pessoas por todo o centro da capital pernambucana, sendo acompanhado por mais de 30 trios elétricos e até mesmo nas águas do rio Capibaribe, com dezenas de pequenos barcos e lanchas, tanto é que entre os barcos foi criado um outro bloco “A Galinha D’água”.

A praça Sérgio Loreto, embora não tenha sido o local de nascimento do bloco, que foi numa casa da rua Padre Floriano, bem pertinho dali, foi de onde saíram aquelas primeiras 75 almas pelas ruas do bairro de São José.

Mesmo com o crescimento exponencial e com a mudança de horário do início do desfile – hoje o Galo já não sai mais pelas 5 horas da manhã e sim por volta das 10 horas – a praça permanece sendo o “quartel-general” do bloco.

A Palácio Enéias Freire

Tanto é que em 2 de Dezembro de 2008 foi inaugurado o “Palácio Enéas Freire”. a praça do galo da madrugada

A nova sede do Galo é uma grande homenagem ao seu fundador e presidente eterno, que veio a falecer em 9 de junho daquele ano foi construída em frente à praça.

O prédio tem atividades durante todo o ano, possui restaurante, exposições itinerantes e lá são promovidos shows de grupos de samba e outros gêneros musicais.

Na praça, dentro do coreto onde em outras épocas se escutavam bandas de música a animar as famílias que se encontravam no local, foi instalada uma estátua de Enéas com o seu Galo.

Nessa época do ano, já não é mais possível caminhar pela praça pra mostrar os seus outros atrativos, pois boa parte de seus espaços já estão sendo tomados por estruturas de ferro e madeira, onde serão montadas as arquibancadas e os camarotes pra o grande dia, o Sábado de Zé Pereira, quando sairá o Galo da Madrugada.

Hoje o bairro de São José já mudou radicalmente. De um lugar predominantemente residencial, pra um bairro cheio de ruas estreitas com comércio popular, onde, nos dias de semana, tudo fica apinhado de gente, de sons e movimento.

a praça do galo da madrugada

Grande parte do bairro sofre com a falta de infra, vários prédios antigos estão se deteriorando. O bairro já chegou a possuir quatro cinemas e além das festividades de Carnaval, por suas ruas também circularam atletas amadores que participavam da Corrida da Fogueira.

O bairro de São José guarda ainda mais patrimônios do Carnaval pernambucano. Nas próximas semanas, conheceremos mais algumas das histórias mais bonitas e curiosas de várias agremiações carnavalescas, tanto daqui de Recife, como também de Olinda.

 

Saiba + O Maior Bloco da Terra 

Participe, comente esse post: