O Varadouro, no centro histórico de João Pessoa

O bairro do Varadouro, no centro histórico de João Pessoa, é um lugar especial, onde a cidade começou a nascer como a conhecemos hoje. E é daqui também que iniciamos um passeio por alguns dos principais pontos bem interessantes da parte mais antiga da capital da paraibana.

Não se sabe com precisão o dia em que essa que é uma das capitais mais antigas do Brasil foi fundada.

A data oficial é 5 de agosto, que marca o dia em que os europeus venceram a resistência indígena e tomaram posse do lugar. Porém, há os que afirmam que teria sido em 4 de novembro, quando as obras das primeiras construções começaram.

O certo é que foi no ano de 1585 e nessas imediações, onde hoje existe o hotel Globo, o pátio e a Igreja de S. Frei Pedro Gonçalves, entre outros atrativos.

O Hotel Globo

Esse foi o primeiro, e por muito tempo o único hotel de primeira classe de João Pessoa. Situado em uma das áreas mais antigas desse Sítio Histórico.

Construído em 1929, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico da Paraíba no final da década de 1970 e recentemente reaberto a visitação pública.

O Globo teve seu auge durante os anos 1930, quando chegou a hospedar artistas famosos, ricos comerciantes e chefes de estado.

Infelizmente, não tivemos como entrar no hotel, onde funciona uma exposição permanente com objetos, obras de arte e demais lembranças de sua época de ouro, mas fomos, acompanhados de um guia, até o pátio nos fundos do edifício.

Um lugar que tem vista para o rio Sanhauá, que, segundo conta a história, foi de onde chegaram os colonizadores europeus que fundaram a cidade.

Nosso guia também disse que ali existia um forte com as armas apontadas na direção do rio, mas não há nenhum vestígio aparente dessa construção, pelo menos nada que pudéssemos ver naquela parte do Globo.

Esse ponto da cidade é muito procurado pelos visitantes no final de tarde, pois proporciona uma linda vista do pôr do sol a partir da sacada na parte frontal do Hotel.

Porém, se você estiver com carro próprio e não conheça muito bem a cidade, talvez seja mais aconselhável ir pela manhã ou começo da tarde, evitando assim, um eventual retorno ao seu ponto de hospedagem já com o dia escurecendo.

Diversos motoristas autônomos oferecem “city tours” que incluem a visita ao centro histórico de João Pessoa. Eles geralmente ficam na avenida a beira mar em Cabo Branco e Tambaú e podem combinar preços e roteiros.


Há pacotes de turismo oferecidos por diversas agências que incluem passeios não só ao Varadouro, como a vários outros pontos interessantes da cidade. Contrate um passeio através da TourOn, clicando aqui. Você não paga nada a mais por isso e nós recebemos uma comissão que ajuda a manter o Reverso.


Igreja de S. Frei Pedro Gonçalves

Na saída, cruzamos com um grupo de turistas em excursão e fomos até a grande igreja que se sobressai pela altura e aspecto de grandiosidade, ainda mais por estar no topo de uma colina.

O templo é dedicado a São Frei Pedro Gonçalves e passou um longo tempo até ser concluído. A pedra fundamental foi lançada na década de 1840 e só foi dada por completa mesmo no começo do século XX.

Segundo informações obtidas no site da Secretaria de Turismo da cidade, há uma visitação de segunda a sábado, das 9 às 12 horas e nos domingos, das 15 às 17h30, porém estávamos lá num sábado, dentro do horário, e não só não encontramos a igreja aberta, como também não localizamos ninguém que pudesse viabilizar nossa entrar no templo.

Seria muito interessante ter entrado, pois lá dentro há um pequeno sítio arqueológico, que foi descoberto numa obra da restauração da igreja no comecinho dos anos 2000.

Trata-se de fragmentos de muralhas e de fundações de construções dos tempos em que a cidade ainda era bem recente, entre o final do século XVI e começo do XVII. Esperamos, quem sabe numa outra oportunidade, poder conhecer esses achados arqueológicos.

Os edifícios históricos e arredores

Descendo a ladeira do largo da igreja, na parte mais baixa, pudemos observar construções de relevância histórica.

Uma delas, que chama bastante a atenção, é um casarão já bem deteriorado, em uma de suas quinas há uma placa que marca o local onde foram exibidas partes do corpo de Amaro Gomes Coutinho, que foi executado no Recife.

Ele era um dos principais articuladores paraibanos da Revolução de 1817, que pregava, entre outras coisas, a proclamação de uma república formada, além da Paraíba, por Pernambuco e Ceará.

Muitas das construções vizinhas são belas e coloridas, porém observamos um certo ar de precariedade na conservação e sinais de mal uso do local. Mais perto do rio há vários barracos e gente vivendo de forma precária.

Por essas proximidades há o trem que vem desde o município de Santa Rita, margeando a capital e indo até Cabedelo.

Fala-se em projetos de revitalização do espaço. O guia que esteve conosco no Hotel Globo disse que existem projetos em andamento para se melhorar a infraestrutura, com a transformação de prédios em locais de lazer, espaços culturais, entre outras coisas.

Praça Antenor Navarro

Subindo de volta a ladeira que vai até o largo da igreja de São Frei Pedro Gonçalves e seguindo à esquerda, você chega na praça Antenor Navarro, outro local bem interessante do centro histórico de João Pessoa.

Nos anos 1920, os sobrados, esses belos edifícios em estilo eclético e art-décor, bastante coloridos,eram casas comerciais e escritórios de profissionais liberais.


No final da praça, no cruzamento da rua Maciel Pinheiro com a avenida há o prédio da Associação Comercial da Paraíba. Inaugurado em julho de 1919, ele impressiona pelo estilo neoclássico com altas colunas, janelas e portas enormes e pelo próprio espaço que ocupa, chega mesmo a ser grandioso.

O Varadouro, no centro histórico de João Pessoa, pode ser um programa ideal para quem quer conhecer pontos históricos e espaços culturais importantes da capital paraibana, pode render boas conversas com o povo e com os guias e belas fotos.

Participe da conversa com seu comentário: